Urina de 24 Horas – CONSIDERAÇÕES

j0409007-200x150A urina de 24 horas é a amostra de escolha para determinações quantitativas, seja para avaliar a função de filtração urinária ou a excreção urinária de certos metabólitos de importância clí­nica . O recipiente ideal para coleta é o frasco de boca larga, de plástico resistente com capacidade de 1 litro. Recomenda-se a não reutilização do recipiente, mas ainda há alguns laboratórios onde essa prática não é possí­vel. Nesse caso, o laboratório deve ser rigoroso com o procedimento de lavagem, pois corre o risco de introduzir um erro pré-analítico nesse processo.

Orientações de Coleta
A forma de orientar o paciente é crucial para a colaboração dele em fornecer uma amostra adequada. É crucial que ele compreenda os procedimentos da coleta. Observo que pelo fato das orientações serem simples, são repassadas como se fosse obrigação do cliente entendá-las e não do laboratório em transmiti-las. As informações tem que ser claras para o paciente!

Preservação
O método mais comum é a refrigeração entre 2 á 8°C. Além disso, alguns conservantes químicos (HCl 6N ou 50%, Na2HCO3, acido acético 8N) podem ser adicionados quando é necessário estabilizar a amostra para que não sofra interferências de drogas, crescimento bacteriano, alteração do pH, cristalização etc. O uso do conservante quando necessário, é obrigatório e deve ser colocado no frasco antes do inicio da coleta. A presença do conservante e cuidados no manuseio deve ser informado para o cliente.

Influência da luz
Alguns componentes urinários também podem sofrer interferência da luz, alterando para menos os valores dos resultados. Nestes casos coletar a urina em frascos Âmbar que ajuda a minimizar o efeito. Não esquecer que a proteção da luz deve ser mantida na alíquota separada para o teste, após a medição do volume total.

Medida do volume total
Durante a minha atividade, tenho observado que nem sempre se dá a devida atenção á medição do volume das urinas de 24 h. Muitos consideram o volume do frasco como parâmetro. Dessa forma, 1 litro pode significar 800 ml ou 1100 ml, conforme o “olho clínico” do técnico. Outros usam instrumentos de medida inapropriados ou ainda, a pessoa que faz a medição não é técnica. Até aqui, quantas variáveis estão sendo introduzidas na amostra.
Para medir o volume das urinas de 24 h recomendo uma proveta plástica de 2000 ml, exclusiva para esse fim, de forma que a maioria dos volumes urinários podem ser medidos com maior precisão. Se os resultados das dosagens nessa amostra estão diretamente relacionados ao volume emitido, então o volume informado vai interferir no resultado, podendo significar a diferença entre um resultado normal e um alterado.

Descarte
Vejo em muitos locais o descarte das urinas de 24 horas na pia mais próxima, para a comodidade dos técnicos. Quais as consequências? No mí­nimo, mau cheiro, ao qual o que parece, já estão acostumados. Mas e para os colegas? E o meio ambiente? E a comunidade (foto)? Nós, profissionais da saúde, sendo vetores de doenças? O descarte correto é no esgoto sanitário, onde a amostra será tratada pelo serviço de água e esgoto do municí­pio.

Em vista dessas considerações, será que não é o momento de rever as práticas adotadas no seu laboratório? Qualquer orientação, estou à  disposição.
Gostaria de receber a sua opinião.

Urina de 24 Horas – CONSIDERAÇÕES
Tagged on: