Desvios da Qualidade na coleta de sangue que podem causar danos ao paciente – Parte II

Desvios da Qualidade na coleta de sangue que podem causar danos ao paciente – Parte II

Sua equipe realiza uma coleta de sangue sem receio?  O manual de procedimentos de coleta aborda os eventuais danos ao paciente? As respostas a essas perguntas podem indicar o nível de segurança na coleta de sangue do seu laboratorio.

  1. REINVENTAR O PROCEDIMENTO

Uma coisa é certa: quando mudamos um procedimento estabelecido, as coisas dão errado.

Ao longo dos anos, inúmeras “inovações domésticas” ou decorrentes da “prática de anos” tentam modificar um padrão de coleta de sangue universal e estabelecido há décadas. Algumas dessas “inovações” são :

  • Usar 2 torniquetes: um acima do local de punção e outro no pulso;
  • Seguir o trajeto de uma artéria achando que é uma veia;
  • Inserir a agulha e permitir que o sangue pingue abertamente para dentro do tubo de coleta;
  • Dar “tapinhas” ou “estalar o dedo médio” sobre o braço garroteado para estimular a concentração do sangue no local a ser puncionado;
  • Inserir a agulha na veia em um ângulo de 90°;
  • Juntar o sangue coletado em 2 tubos iguais ou diferentes em outro, até conseguir o volume necessário para a análise;
  • Mergulhar tubos de soro no gelo após a coleta para “acelerar” a coagulação.

Essas atitudes são totalmente impróprias e representam o grau de desconhecimento dos profissionais que as praticam. Além disso, aumentam e muito a possibilidade de ocasionar algum dano no paciente ou na amostra coletada, deixando o laboratorio vulnerável a assumir a responsabilidade do erro caso ocorra uma complicação e/ou lesão decorrente.

Esse artigo é uma oportunidade para revisar o procedimento de coleta de sangue do seu laboratorio e incluir os prováveis danos ao paciente. Os padrões universais de coleta de sangue devem estar descritos e detalhados para a equipe, independente dos anos de experiência na atividade de cada profissional. Acompanhe os coletadores individualmente e observe de que forma realizam a punção. É provável que encontre motivos para um retreinamento.

Aproveitando desse período de quarentena, talvez seja a hora de organizar um treinamento para a sua equipe, reforçando as práticas ideais de coleta. Assim, os profissionais estarão treinados para realizar a atividade de forma correta e com qualidade, minimizando os riscos de problemas tanto para o paciente como também para o laboratório.

Inscreva-se na nossa Newsletter

Insira seu e-mail

E-mail

Cidade

Desvios da Qualidade na coleta de sangue que podem causar danos ao paciente – Parte II
error: Content is protected !!