Uso de calçados abertos

extravagante-John-Galliano-4-319x198Tenho sido questionada sobre o uso de calçados abertos, e onde essa regra se aplica nas diferentes atividades laboratoriais.

A NR-32 no item 32.2.4.5 diz: O empregador deve vedar … e) o uso de calçados abertos
O objetivo da NR-32 é disciplinar de forma especifica sobre a segurança e a saúde do trabalhador dos serviços de saúde e não ensinar como fazer para que seja cumprida.

Como comentei no post  sobre USO DE LUVAS,  quem cria as condições para que a  legislação seja cumprida e de que forma, são os profissionais, segundo seu conhecimento técnico e principalmente as características de cada laboratório. A NR-32 reforça as orientações contidas no PPRA- Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, que determina ações para evitar que os riscos previsíveis no ambiente de trabalho aconteçam.

Entendo que o uso de calçados fechados deve ser  implantado em todas atividades do laboratório, inclusive à Recepção e setores administrativos, onde muitos argumentam que não têm contato com material biológico. O calçado fechado não tem somente a função de proteger os pés do contato com o material biológico, mas também da exposição dos artelhos à acidentes e de objetos que possam cair e atingir os pés. Isso pode ocorrer em qualquer ambiente de trabalho. Há que se pensar que a Recepção e outros setores administrativos fazem parte do ambiente laboratorial e que seus funcionários  não ficam confinados nos seus ambientes, portanto, no meu entender estão sujeitos à riscos de acidentes e devem usar sapatos fechados. Deixemos os “sapatos de salto”, “rasteirinhas” e os tênis de tecido para os locais e situações onde são convenientes. No laboratório, não. Esclareço que a NR-32 não exige calçados fechados para áreas administrativas.

Mas como seria esse calçado apropriado, podem se perguntar?
Para os que atuam na coleta, processamento de amostras e setores analíticos, calçado totalmente fechado, de material não poroso (couro, lonita, plástico). Para a higienização e processamento de materiais, bota de borracha. Para recepção e setores administrativos, são aceitos sapatos fechados na frente e abertos atrás (tipo Chanel).
O argumento de que nosso clima é muito quente deve ser esquecido, pois  hoje os laboratórios possuem condicionadores de ar até nas áreas analíticas. Damos um desconto para quem trabalha no processamento de materiais, com equipamentos como estufa e autoclave que ajudam a aquecer o ambiente, mas são os famosos “ossos do oficio” com os quais temos que conviver.

Uso de calçados abertos
Tagged on:                 

15 thoughts on “Uso de calçados abertos

  • 17 de junho de 2018 at 18:54
    Permalink

    OI BOA NOITE,TRABALHO EM UMA AGENCIA TRANSFUSIONAL COMO TÉCNICA EM LABORATÓRIO,USO EPI NA REALIZAÇÃO DE TESTES PRE-TRANSFUSIONAIS,MAS NA SALA ADMINISTRATIVA,ONDE NÃO TENHO NENHUM CONTATO COM RISCO BIOLÓGICO,É NECESSÁRIO USO DE CALÇADO FECHADO?A EMPRESA TEM A OBRIGAÇÃO DE FORNECER OS EPI,INCLUSIVE JALECO?

    Reply
    • 20 de junho de 2018 at 10:26
      Permalink

      O uso de calçado fechado é preconizado para os serviços de saúde. Os ambientes administrativos estão dentro do contexto, então é recomendado uso de calçado fechado.
      O jaleco/avental é um EPI de proteção para o corpo. A empresa deve fornecer o jaleco da mesma forma que luvas e outros EPI´s.

      Reply
  • 24 de março de 2017 at 08:27
    Permalink

    Aqui no hospital que trabalho, orientamos deixar uma caixa dentro do armário para guardar o calçado sem contato direto com outro EPI e pertences pessoais.

    Reply
  • 16 de fevereiro de 2017 at 16:44
    Permalink

    Botas de couro ou similares podem ser usados em ambientes hospitalares quando estamos trabalhando?

    Reply
    • 22 de fevereiro de 2017 at 10:28
      Permalink

      A NR 32 no seu artigo 32.2.4.5 diz que “o empregador deve vedar o uso de calçados abertos.”
      Para que o calçado seja uma proteção aos pés, há um consenso de que esses não podem ser de material poroso ,isto é, tecido ou outro material permeável, que permita que líquidos atravessem essa barreira e atinja a pele do colaborador. O couro de origem animal é uma barreira , mas o couro artificial (tipo corino, corvim etc) não deve ser usado.

      Reply
  • 26 de dezembro de 2016 at 12:48
    Permalink

    Trabalhar com sapato fechado eu entendo, mas é necessário chegar ao ambiente hospitalar (antes de começar suas atividades laborais) de sapatos fechados e só adentrar a Instituição de estiver de sapatos fechados?

    Reply
    • 30 de janeiro de 2017 at 13:17
      Permalink

      A NR-32 não determina isso, mas a sua instituição, por razões internas decidiu tomar essa atitude. Recomendo que procure esclarecer essas razões com o pessoal do RH e Segurança do Trabalho.

      Reply
  • 10 de fevereiro de 2016 at 09:01
    Permalink

    Comentário de Samir Tannure:
    Eu era enfermeiro assistencialista, lidava direto com o paciente, mas hoje sou enfermeiro do CCIH, onde fico mais com a parte de gerencia do hospital, uso sapatenis durante os meus plantões, totalmente fechado, como a NR32 diz (fechado sem partes a mostra como peito do pé, calcanhar e laterais) mas o problema é esse, só diz isso, algumas pessoas relatam que nem cadarço pode ter, outras dizem que pode, e tem quem diga que não pode ser de pano o material do tênis. Então quero saber, onde descreve perfeitamente as características do sapato que devo usar no ambiente hospitalar?

    Reply
    • 10 de fevereiro de 2016 at 09:09
      Permalink

      Realmente, a NR 32 é uma norma e como tal, não detalha as orientações. Fica a critério das instituições aplica-la com bom senso. Isso significa que ao implantar a NR deve se preocupar em evitar qualquer forma de risco de acidentes, contaminação etc que ponha em risco a saúde do trabalhador. Simultaneamente, as ações não devem causar riscos ao paciente e prevenir a disseminação de microrganismos.
      Assim, é prática nas instituições usar sapatos sem qualquer material poroso (tecido), seja na confecção do calçado ou cadarço.
      Desconheço uma referencia (ANVISA, MTE ou outra) que descreva as características do calçado de uso hospitalar, diferente do que você menciona.

      Reply
  • 7 de abril de 2015 at 20:32
    Permalink

    (=’:’=) Muito bom esse site valeu vou da uma força para voces e indicar esse site para as minha amigas, Adorei, muito bom conteudo.

    Reply
  • 15 de janeiro de 2015 at 13:02
    Permalink

    Boa Tarde!
    Não entendo por quê há tal brecha na NR 32, a não consideração de calçado como EPi. No trabalho de conscientização diário alguns funcionários do serviço de saude contesta por não receber e se fosse embasa na NR 32 como epi, o empregador teria a obrigatoriedade de fornecer.

    Reply
    • 21 de janeiro de 2015 at 10:29
      Permalink

      A NR 32 foi elaborada por uma comissão tripartite (estado, trabalhadores e empregadores), que entendeu que calçado não é EPI.
      Segundo o GUIA TÉCNICO DE RISCOS BIOLOGICOS no âmbito da NR 32 orienta:
      “Entende-se por calçado aberto aquele que proporciona exposição da região do calcâneo (calcanhar), do dorso (“peito”) ou das laterais do pé. A proibição aplica-se aos trabalhadores do serviço de saúde, bem como daqueles que exercem atividades de promoção e assistência à saúde potencialmente expostos, conforme definido no PPRA.
      O PPRA deve indicar as características dos calçados a serem utilizados nos diversos postos de trabalho.
      A proibição do uso de calçados abertos implica o fornecimento gratuito, pelo empregador, dos calçados fechados conforme definidos no PPRA.”

      Reply
  • 26 de novembro de 2014 at 14:53
    Permalink

    ISSO SIGNIFICA QUE QUALQUER EMPRESA, COMO UM CENTRO ADMINISTRATIVO SE QUISER PODE IMPLANTAR O CALÇADO FECHADO, APENAS COMO NORMA INTERNA, MAS NÃO TEM UMA NORMA OU UM EMBASAMENTO LEGAL QUE DIGA QUE AS PESSOAS DESTE TIPO DE TRABALHO QUE A PRINCIPIO NÃO TEM RISCO, USEM O CALÇADO FECHADO CERTO.

    Reply
    • 3 de dezembro de 2014 at 09:09
      Permalink

      A obrigatoriedade de calçado fechado é para serviços de saúde, recomendável mesmo para áreas administrativas, já que se pensa em prevenção de riscos como um todo.
      Em industrias e outros segmentos de mercado, é preciso verificar se há normas especiais para aquele segmento. Como as EPIs que são especificas para cada tipo de trabalho desenvolvido. Caso não haja, o uso de calçado fechado pode ser sim uma norma interna da empresa se a direção assim estabelecer.

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *