Uso de calçados abertos

NR-32 E O USO DE CALÇADOS ABERTOS

Bia

por:
Beatriz Mª Nogaroli

Em vigor desde 2005, a NR-32 que regulamenta as medidas de proteção à segurança e à saúde dos trabalhadores dos serviços de saúde ainda causa muita discussão e resistência. 

A constituição das normas da NR-32 tem a participação de uma Comissão Tripartite de Saúde e Segurança no Trabalho permanente, composta por membros do governo, representantes de trabalhadores e empresários. Portanto, suas diretrizes foram estabelecidas de forma conjunta.

O item 32.2.4.5 da norma diz: O empregador deve vedar: a) a utilização de pias de trabalho para fins diversos dos previstos; b) o ato de fumar, o uso de adornos e o manuseio de lentes de contato nos postos de trabalho; c) o consumo de alimentos e bebidas nos postos de trabalho; 

  1. d) a guarda de alimentos em locais não destinados para este fim; e) o uso de calçados abertos. 

 

Com o objetivo de indicar normas de segurança e proteção à saúde do trabalhador dos serviços de saúde, a NR-32, como qualquer outra legislação, não diz como e o que fazer para que essas diretrizes sejam cumpridas. Dessa forma, cabe às organizações de saúde buscar os caminhos para implementá-la.

 

Como comentado no artigo sobre o uso de luvas, quem cria as condições para que a legislação seja cumprida e de que forma será implantada são os profissionais da área baseados em seu conhecimento técnico e, principalmente, conforme as características de cada organização. 

A NR-32 complementa e reforça as orientações contidas no PPRA – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, que determina as ações necessárias para evitar que os riscos previsíveis no ambiente de trabalho aconteçam. 

No decorrer desses anos após a NR-32, recebemos muitas dúvidas e comentários em nosso blog sobre este assunto, principalmente em relação ao uso de adornos. A grande maioria deles contestando as normas internas dos seus locais de trabalho implantadas para atender a NR. 

O calçado fechado não tem somente a função de proteger os pés do contato com o material biológico, mas também a de evitar a exposição dos artelhos à acidentes e de objetos que possam cair e atingir os pés. Isso pode ocorrer em qualquer ambiente de trabalho.

Há que se pensar que a Recepção e outros setores administrativos fazem parte do ambiente laboratorial ou hospitalar e que seus funcionários não ficam confinados nos seus ambientes. Portanto, no meu entender, estão sujeitos à riscos de acidentes e, assim, devem usar sapatos fechados. Deixemos os “sapatos de salto”, “rasteirinhas” e os tênis de tecido para os locais e situações onde são convenientes. No laboratório e hospital, não. 

Esclareço que a NR-32 não exige calçados fechados para áreas administrativas, mas se o objetivo é prevenir, entendo que o uso de calçados fechados deve ser implantado em todas as atividades do laboratório, inclusive na Recepção e nos setores administrativos, mesmo com o  argumento de não ter contato com material biológico. Para mim é uma questão de prevenção de riscos e tornar coerente as práticas internas.

Mas como seria esse calçado apropriado? Há algum padrão? 

Para os que atuam na coleta, processamento de amostras e setores analíticos, o calçado deve ser totalmente fechado e de material não poroso (por exemplo: couro, plástico, emborrachado). Para a atividade de higienização e processamento de materiais, que têm contato com água em abundância, é indicado a bota de borracha. Já para a recepção e setores administrativos, são aceitos sapatos fechados na frente e abertos atrás (tipo Chanel).

 

O argumento de que nosso clima é muito quente deve ser esquecido, pois hoje os serviços de saúde possuem condicionadores de ar em todos os ambientes onde são permitidos. 

 

Considero que a resistência por parte de alguns colaboradores ocorra por medidas mal sucedidas de implantação, como por exemplo, obrigar o uso sem esclarecer os motivos. Não posso acreditar que alguém não aceite se proteger simplesmente para se rebelar contra seu chefe ou seu empregador. Todos queremos ambientes saudáveis de trabalho e esse objetivo só será atingido com o compromisso de todos. 







VEJA TAMBÉM!

NOSSOS SERVIÇOS

Qualidade

Nossos serviços na área de Qualidade laboratorial foram criados pensando em transformar todos os laboratórios em referência no Brasil. Desde Auditorias até Gestão e Consultoria, a BMN garante a sua excelência.

NOSSOS ARTIGOS

Outra questão polêmica  para os serviços de saúde, inclusive laboratórios, é  o uso de adornos no ambiente de trabalho. Novamente entra em conflito a vontade dos funcionários, o empregador e a legislação.

Uma das questões mais frequentes no meu dia-a-dia como consultora é sobre a obrigatoriedade do uso de luvas nas diferentes atividades laboratoriais, da coleta à  limpeza. O uso de luvas na coleta de sangue, sem duvida, é a mais polêmica.

Inscreva-se na nossa Newsletter

Insira seu e-mail

E-mail

Cidade

Uso de calçados abertos
error: Content is protected !!